Acompanhe a Artha nas Redes Sociais
Central de atendimento (51) 3545.7700 / 99833.8954
Agende sua Consulta
Tipos de Câncer

Câncer
de Mama

Geral

Quando o câncer de mama é diagnosticado, geralmente é como se uma tragédia atingisse a paciente e sua família, especialmente porque, além da preocupação comum a outros tipos de tumores, surge a insegurança em relação à vaidade e à sexualidade. Infelizmente, esse tipo de carcinoma é um dos mais comuns em todo o mundo. No Brasil, é o mais frequente entre as mulheres: mais de 60 mil casos novos a cada ano. Existem casos em homens, porém em proporção muito menor.

Sintomas

Em cerca de 60% a 70% dos casos, as células do câncer de mama dependem do hormônio feminino estrógeno para crescer. Geralmente é a presença de um nódulo único, não doloroso e endurecido na mama que chama a atenção. Como é indolor, essa irregularidade costuma ser descoberta somente durante a mamografia.

As mulheres que não realizam a mamografia de rotina têm grande chance de perceber a presença do tumor apenas quando ele atingir cerca de 2 a 3 cm. Já aquelas que fazem o exame regularmente recebem o diagnóstico bem antes, aumentando a possibilidade de cura.

Outros sintomas, porém, devem ser considerados, como deformidade e/ou aumento da mama, retração da pele ou do mamilo, gânglios axilares aumentados, vermelhidão, edema, dor e presença de líquido nos mamilos

Embora imprevisível, a evolução da doença costuma primeiro comprometer os linfonodos próximos da mama e, mais tardiamente, os tecidos distantes. Os órgãos pelos quais as células malignas têm predileção costumam ser ossos, pleura, pulmões, fígado ou linfonodos situados à distância na cavidade abdominal, tórax, pele e cérebro. Teoricamente, entretanto, qualquer estrutura pode ser invadida.

Fatores de Risco

Entre os fatores de riscos, destacam-se o histórico familiar e outros ligados a fatores hormonais, como menarca precoce (primeira menstruação abaixo de 13 anos), menopausa tardia (parada da menstruação após 50 anos), a nuliparidade (não ter filhos) ou a primeira gestação tardia (após 30 anos) e o uso indiscriminado e prolongado de medicamentos hormonais.

Importância da Detecção Precoce

As formas mais eficazes para a detecção precoce do câncer de mama são os exames clínicos periódicos (ao menos uma vez ao ano) e a mamografia, que deve ser anual após os 40 anos de idade ou a partir de 35 anos naquelas pacientes de histórico familiar importante, mesmo as mulheres assintomáticas. O autoexame das mamas é importante, porém não desobriga as mulheres a se submeter a consultas médicas periódicas.